Relatom - Inteligência em Gestão
INÍCIO
A EMPRESA
NOVO!
GESTÃO DE PROCESSOS
GESTÃO DE PESSOAS
Formação de Executivos
Treinamentos
ARTIGOS
INÍCIO
A EMPRESA
NOVO!
GESTÃO DE PROCESSOS
GESTÃO DE PESSOAS
Formação de Executivos
Treinamentos
ARTIGOS

Por que as organizações existem?

Para responder por que as organizações existem, vamos começar com uma rápida olhada no best seller “Sapiens – uma breve história da humanidade” – de Yuval Noah Harari. O livro afirma que, um dos fatores que permitiram que o homo sapiens evoluísse da condição anterior foi a capacidade única de acreditar (e fazer com que outros acreditem) em coisas que existem apenas na imaginação. 

O autor usa como exemplo uma organização ilustrar tal teoria. Empresas constituídas são “entes jurídicos” com direitos e obrigações; mas diferentemente de um ser vivo, uma empresa somente existe “no papel” ou “na imaginação”, não existe fisicamente.

Para que organizações existam e funcionem, então, é preciso ter gente que acredita que ela existe, que é solida que tem princípios e objetivos que serão capazes de faze-la crescer e prosperar. Mas a pergunta é… – POR QUE qualquer organização é fundada?

As organizações existem e foram fundadas, para gerar valor para seu acionista, seu mantenedor ou se quiser uma palavra mais internacional, seus “stakeholders”. Nas organizações sem fins lucrativos o valor gerado pode ser medido por diversos indicadores de performance alheios a moeda, mas em uma organização comercial (ou empresa) o valor é sempre medido acrescentando-se um ” $ ” na frente do número que representa o desempenho. 

Organizações existem para gerar valor para os stakeholders.

Esse valor gerado tem que estar em linha com os propósitos atuais da organização. Por exemplo: uma montadora de automóveis tem como proposito fabricar e vender carros; uma empresa prestadora de serviços tem como propósito vender e executar os serviços, de maneira lucrativa que permita que o acionista receba retorno financeiro sobre o seu capital empregado ali.

Então é razoável afirmar que se, dentre os trabalhadores de uma empresa, há alguém que não está ali para “gerar valor para o acionista, por meio dos propósitos da organização” está na empresa errada.

Gerar valor para o acionista por meio dos propósitos é, então a única maneira de garantir a “perenidade da organização”. Uma empresa que perde a capacidade de gerar valor para os acionistas está ferida de morte e caminha para a extinção (ou insolvência).

Não é nenhum segredo que os acionistas esperam que o seu capital investido gere o valor esperado. Exatamente como nós fazemos quando nos sobra algum recurso e, ao fazermos uma aplicação bancária, esperamos auferir lucro ao final de um determinado período.

De quais empresas você tem lembrança que, embora tenham sido grandes há alguns anos, já não existem mais? Foram vendidas, ficaram obsoletas ou simplesmente “quebraram” ?.

Então, se trabalhamos em uma empresa e queremos manter nosso emprego e renda, não há preocupação mais nobre do que garantir que o acionista receba o devido retorno sobre o investimento por ele aportado, porque é sabido que – o capital é um “animal” muito sensível e que sempre migra para onde ele é melhor tratado.

O que fazer então para gerar valor para o acionista e garantir assim a perenidade da organização?

Para gerar valor para o acionista por meio do proposito, acreditamos que duas coisas, entre tantas importantes, são fundamentais: Fazer mais com menos e desenvolver pessoas.

– Fazer mais com menos porque a cada novo ciclo de operação as empresas precisam ser mais eficientes. Buscam mais qualidade a um custo mais competitivo. 

É impossível cumprir esse requisito sem atuar sobre os processos, melhorando fluxos de trabalho, eliminando e/ou simplificando atividades e atendo-se à “cadeia de valor”. Ferramentas de melhoria contínua como KAIZEN e VSM são muito úteis.

– Desenvolver pessoas é outro pilar fundamental! As relações interpessoais têm ganhado se mostrado importantes na geração de resultado. Por isso é fundamental gerar desenvolvimento e atualização na forma como as pessoas interagem entre elas. Estratégias de formação e desenvolvimento devem ser adotadas, porque como ouvi dizer certa vez: “ninguém dá o que não tem para dar”. Se queremos que as pessoas trabalhem com altos níveis de performance é essencial fornecer treinamento e orientação periódicas.

Para gerar valor através de seu propósito, organizações precisam desenvolver pessoas e estruturar processos (fazer mais com menos).

Adotando estas medidas, as empresa visam diferenciar-se das outras concorrentes, com objetivo de serem a “escolha preferencial” de seus clientes. Isso gera “valor para os acionistas” reiniciando-se assim um novo “ciclo vital da organização”.

 Quer ajuda para fazer mais com menos em suas equipes e/ou desenvolver pessoas? Entre em contato com a RELATOM Inteligência em Gestão.

Marcelo Maulepes Ph.D.
Consultor, Treinador de Líderes, Coach Executivo, Doutor pesquisador sobre neuroliderança.

https://www.linkedin.com/pulse/por-que-organiza%C3%A7%C3%B5es-existem-marcelo-maulepes-phd/

Leia outros artigos

X